Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/4939
Título: Estudo da estrutura populacional e caracterização do habitat de Procambarus clarkii (lagostim vermelho) na Lagoa das Sete Cidades e na Lagoa do Peixe (São Miguel, Açores)
Autor: Picanço, Ana Luísa Coderniz
Costa, Ana Cristina de Matos Ricardo, orientadora
Palavras-chave: Procambarus clarkii
Lagostim Vermelho
Ilha de São Miguel (Açores)
Açores
Data de Defesa: 2005
Editora: Universidade dos Açores
Citação: Picanço, Ana Luísa Coderniz. "Estudo da estrutura populacional e caracterização do habitat de Procambarus clarkii (lagostim vermelho) na Lagoa das Sete Cidades e na Lagoa do Peixe (São Miguel, Açores)". 2005. 50 p.. (Relatório final de Estágio da Licenciatura em Biologia, ramo Ambiental e Evolução). Ponta Delgada: Universidade dos Açores, 2005. [Consult. Dia Mês Ano]. Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10400.3/4939>.
Resumo: A Procambarus clarkii (Girard, 1982) é uma espécie de crustáceo do sul dos Estados Unidos da América e do noroeste do México e foi introduzido em outras regiões como a América do Sul e Central, a Europa, a África, a Ásia, Pacífico e Caraíbas (Ingle, 1997). O lagostim vermelho foi detectado na ilha de São Miguel (Açores) pela primeira vez em 1993 na Lagoa do Peixe e posteriormente em 1997, na Lagoa das Sete Cidades. Não se sabe ao certo com que propósito a não ser o da exploração. Actualmente verifica-se que a exploração ou predação são um dos possíveis factores de extinção da população da Lagoa do Peixe que sofreu um declínio em pouco tempo, apesar desta espécie possuir uma grande resistência a condições adversas e uma elevada capacidade reprodutora (Constância et al., 1997). O P. clarkii é uma espécie exótica conhecida pelo seu nome vulgar, lagostim vermelho da Luisiana. Possui uma rápida capacidade de adaptação e propagação que faz com que a sua inserção no ecossistema seja viável, com possíveis impactos negativos e positivos. Esta espécie é considerada uma praga para os ambientes naturais, pois o seu controlo e erradicação são quase impossíveis (Costa & Correia, 1994). É considerado um ‘estrategista-r’ que encontra em São Miguel condições propícias para a sua aclimatização e proliferação. Como espécie invasora, é necessário a sua monitorização e o estudo da sua evolução populacional.
Descrição: Relatório final de Estágio da Licenciatura em Biologia, ramo Ambiental e Evolução, 2005, Universidade dos Açores.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/4939
Aparece nas colecções:DBIO - Dissertações de Licenciatura / Bachelor Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RelatorioEstagioAnaLuisaCodernizPicanco2005.pdf2,66 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.