Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/4550
Título: Programação museológica e espaço arquitectónico : o Museu Carlos Machado de Ponta Delgada, Açores
Autor: França, Igor Tavares de Melo Espínola
Orientador: D'Alfonso, Maddalena
Martins, Rui de Sousa
Palavras-chave: Arquitectura de Museu
Museu Carlos Machado
Museologia
Açores
Data de Defesa: 13-Jul-2009
Citação: França, Igor Tavares de Melo. "Programação museológica e espaço arquitectónico: o Museu Carlos Machado de Ponta Delgada, Açores". 2009. 286 p.. (Dissertação de Mestrado em Património, Museologia e Desenvolvimento). Ponta Delgada: Universidade dos Açores, 2008. [Consult. Dia Mês Ano]. Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10400.3/4550>.
Resumo: […]. Efectivamente, a arquitectura de museus é um dos mais interessantes temas da arquitectura contemporânea. O fascínio que os museus hoje exercem no imaginário das sociedades desenvolvidas, radica, em grande parte, no facto dos seus edifícios constituírem, frequentemente, uma presença icónica no contexto urbano em que se inserem. Esse mecanismo de encantamento apoia-se no reconhecimento de que, num mundo crescentemente padronizado, uma arquitectura promotora de diferença, e susceptível de afirmar as “cores” de uma cidade, de uma região, ou mesmo de uma nação, pode constituir uma mais-valia assinalável. Suplantando os “herdeiros” das grandes catedrais medievais, estações ferroviárias, hospitais, fábricas, bibliotecas, prenunciados pelas vanguardasmodernistas, são precisamente os museus que hoje mais próximos estão decumprirem aquela profecia. Recentemente essa presunção tem-se apoiado num entendimento escultórico do edifício, que se afirma como algo de espectacular e susceptível de rivalizar, ou até mesmo de anular, a lógica expositiva. Por outro lado, desde remotamente considerados “instrumentos de medida” do nível cultural de um povo, pese embora o facto de terem despertado ódios e desamores ao longo da sua existência multissecular, são, ainda hoje, os edifícios dos museus que enformam o espaço expositivo por excelência. Este aspecto assume especial relevância na cultura ocidental, precisamente a geradora da instituição museal, uma vez que aquela se afirma na inter-relação entre a mensagem e o espaço onde a obra é exposta. Assim, encontrar um ponto de equilíbrio entre continente e conteúdo, entre o carácter distintivo da marca urbana, ou a exaltação pura e simples da arte e do coleccionismo abrigados no museu, deverá constituir-se como o principal desafio a enfrentar pelo arquitecto, chamado a intervir nesta área da arquitectura contemporânea. É neste contexto que a manifestação recente, por parte da tutela, da vontade de investir na sede do Museu Carlos Machado, constitui uma oportunidade para refundar o seu projecto museológico, conferindo às suas infra-estruturas as condições necessárias à sua implementação. É aquele pressuposto que justifica o nosso interesse em desenvolver este trabalho que, sendo embora um exercício académico, constitui também resposta a uma situação concreta. […].
Descrição: Dissertação de Mestrado, Património, Museologia e Desenvolvimento, 13 de Julho de 2009, Universidade dos Açores.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/4550
Designação: Mestrado em Património, Museologia e Desenvolvimento
Aparece nas colecções:DHFA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoIgorTavaresMeloEspinolaFranca2009.pdf15,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.