Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1953
Título: A ideação paranóide na adolescência : um enfoque comunitário
Autor: Pereira, Vera Lúcia do Couto
Orientador: Carvalho, Célia Maria de Oliveira Barreto Coimbra
Palavras-chave: Adolescente
Paranóia
Psicologia Social
Adolescent
Paranoid Ideation
Data de Defesa: 18-Mar-2013
Citação: Pereira, Vera Lúcia do Couto – "A ideação paranóide na adolescência : um enfoque comunitário". Ponta Delgada : Universidade dos Açores. 2013. 142 p.. Dissertação de Mestrado.
Resumo: O alargamento do conceito da paranóia à população normal constitui o tema principal do presente trabalho. Cada vez mais se observam estudos que evidenciam, tal como verificado na presente investigação, que a paranóia consiste num fenómeno de cariz social, existente entre a população normal e relacionado com o contexto ambiental onde o indivíduo se insere. A literatura defende, no âmbito do ranking social, e tendo como base o modelo evolucionário, que a ideação paranóide se afigura como uma forma de defesa social dos indivíduos, empregue nas interacções que estabelecem com os outros, e relacionada com os comportamentos de comparação social, submissão social e vergonha externa, mecanismos de defesa do self às ameaças percepcionadas no ambiente. Para a concretização do presente estudo foi necessário proceder-se, numa primeira fase, à adaptação e validação da Escala Geral da Paranóia, para a população portuguesa adolescente, instrumento que mede a ideação paranóide, construída inicialmente para a população adulta normal. Foi também objectivo da presente investigação estudar o papel das variáveis de ranking social na etiologia da ideação paranóide. Com os resultados observados denota-se que são várias as variáveis (sociais, emocionais e familiares) que interferem com o desenvolvimento desta, embora as que apresentam maior valor preditivo sejam a vergonha externa, seguida dos comportamentos de submissão e, por último, dos estilos parentais, mais especificamente dos comportamentos de antipatia e crítica paterna. Este resultado vem reforçar a importância do papel do apoio dos progenitores, fortalecendo a necessidade de uma intervenção comunitária, no contexto ambiental dos indivíduos, principalmente ao nível da educação parental. Quanto mais envergonhado for o individuo maior será a hipótese de desenvolver pensamentos paranóides, devendo a vergonha ser tida em consideração como possível factor de risco, na ideação paranóide. Os nossos resultados mostram que os adolescentes apresentam pensamentos paranóides, resultados coincidentes com os obtidos em estudos realizados com adultos, confirmando que, apesar da diferença etária, o que está na génese dos pensamentos paranóides é o mesmo, designadamente a vergonha externa e os estilos parentais. Isto permite, uma vez mais, confirmar que a paranóia é um fenómeno comum existente no pensamento diário como forma de defesa às ameaças sociais.
ABSTRACT: The breadth of the concept of paranoia to the normal population constitutes the main theme of this work. Increasingly studies observed, as found in this investigation, that paranoia is a social phenomenon, within the normal population and related with environmental context where the individual fits. The literature advocates, within the social ranking, and based on the evolutionary model, that paranoid ideation appears as a form of social defence of individuals employed in establishing interactions with others, and related with behaviours of social comparison, submission and social embarrassment, external mechanisms of self-defence to perceived threats in the environment. In carrying out this study before anything else was necessary to adapt and validate the General Paranoia Scale, to Portuguese teenager, an instrument that measures the paranoid ideation, built originally for the adult normal population. It was also an objective of this research to study the role of social ranking variables in the etiology of paranoid ideation. It’s possible to observe with the results of the study that there are several variables (social, emotional and family related) which interfere with its development, although with higher predictive value is outside shame, then the behavior of submission and, finally, parenting styles, specifically the antipathy of behaviours and parental criticism. This result reinforces the importance of parental support, reinforcing the need for Community action in the environmental context of the subjects, especially at the level of parental education. The more embarrassed is an individual greater is the chance of developing paranoid thoughts, in which the shame should be taken into consideration as a possible risk factor in paranoid ideation. Our results show that adolescents have paranoid thoughts, this coincide with those obtained in studies with adults, confirming that despite the age difference, what is the genesis of paranoid thoughts is the same, namely the external shame and parenting styles. This allows, once again, confirm that paranoia is a common phenomenon, existing in daily thought, as a defence to social threats.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia da Educação (Contextos Comunitários).
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1953
Aparece nas colecções:DEDU - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoVeraLuciaCoutoPereira2013.pdf1,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.