Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/628
Título: Portugal é o mar
Autor: Meneses, Avelino de Freitas de
Palavras-chave: História dos Açores
História de Portugal
Data: 2007
Editora: Universidade dos Açores
Citação: "ARQUIPÉLAGO. História". ISSN 0871-7664. 2ª série, vols. 11-12 (2007-2008): 193-204
Relatório da Série N.º: História. 2ª série;vols. 11-12
Resumo: "[...]. No fim da Idade Média, é a necessidade de conhecimento do mar que motiva o descobrimento das ilhas. Com efeito, a ameaça do Islão obriga a Europa à exploração do Atlântico, que principia com o desvendar da costa africana e com incursões nos arquipélagos fronteiros, nas Canárias, na Madeira e nos Açores. Nas Idades Moderna e Contemporânea, é a relevância do mar que provoca o realce dos Açores. Em virtude de uma posição geográfica de privilégio, determinada pelas condições da natureza e pelo carácter da navegação, as ilhas assumem grande importância nas relações transatlânticas, quando o domínio dos oceanos equivale ao meio de engrandecimento dos estados. O mar português, mais do que o mar do passado, será o mar do futuro. Hoje, conserva uma importância inquestionável, como instrumento de acção política, como fonte de inúmeros recursos. Para a União Europeia, demasiado continentalizada, depois do mais recente alargamento, que possibilitou a inclusão de 10 países do centro e do leste, e muito constrangida, face à preponderância dos Estados Unidos, a ocidente, o enigma da Rússia, a oriente, e a força do Islão, a sul, o mar português é o meio de libertação da Europa. Para Portugal, que agora busca na Europa os recursos que outrora lhe foram sonegados pelo Império, o mar é a nossa maior riqueza, o mar é a nossa reserva estratégica. Por isso, a defesa do mar é uma prioridade nacional. No passado, o mar português compreendia o leito e as margens do Atlântico, o corredor do Índico e as escalas do Pacífico. Agora, a situação é bem diversa! Na actualidade, o mar português é sobretudo um mar açoriano. Assim, no futuro, às ilhas cabe uma missão na história de Portugal idêntica ou superior à de outrora. [...]"
Descrição: Conferência proferida no Palácio dos Capitães-Generais em Angra do Heroísmo, a 10 de Junho de 2006, na Sessão Solene Comemorativa do Dia de portugal, promovida pelo Representante da República para a Região Autónoma dos Açores
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/628
ISSN: 0871-7664
Aparece nas colecções:ARQ - Hist2s - Vol 11-12 (2007-2008)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
AvelinoFreitasMeneses_p193-204.pdf107,64 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.