Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/585
Título: Quando Camões fala de si...
Autor: Azevedo, Maria Antonieta Soares de
Palavras-chave: Luís de Camões
Literatura Portuguesa (séc. XVI)
Data: Jan-1981
Editora: Universidade dos Açores
Citação: "ARQUIPÉLAGO. Série Ciências Humanas". Nº. 3 (Jan. 1981): 291-314
Relatório da Série N.º: Ciências Humanas;Nº. 3
Resumo: “Quando Camões fala de si próprio, quer na lírica quer n’Os Lusíadas, a sua leitura é sempre difícil. Ou o Poeta emprega uma linguagem ambígua, que já o seria também para a maior parte dos seus contemporâneos, ou faltam-nos elementos, deles conhecidos, que nos possibilitem uma leitura linear. O certo é que, umas dezenas de anos depois da sua morte, ou os seus biógrafos também já não dispunham da chave que permitisse uma interpretação segura da sua poesia autobiográfica ou, por motivos que ignoramos, omitiram ou baralharam, propositadamente ou não, os dados que possuíam, dificultando a compreensão de alguns episódios da vida do Poeta. Está neste caso, precisamente, o que respeita ao naufrágio e ao injusto mando que se lhe teria seguido, a que Camões se refere mais de uma vez, e o problema que os seus biógrafos levantaram do seu desterro em Macau, a que o Poeta não faz qualquer alusão. […]”
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/585
Aparece nas colecções:ARQ - SCH - N 03 (1981)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MariaAntonietaSoaresAzevedo_p291-314.pdf741,69 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.