Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/521
Título: A neutralidade e os pequenos estados : o caso de Portugal (1939-1945)
Autor: Andrade, Luís Manuel Vieira de
Palavras-chave: Neutralidade Política
Relações Internacionais
Segunda Guerra Mundial
Data: 1995
Editora: Universidade dos Açores
Citação: "ARQUIPÉLAGO. História". ISSN 0871-7664. 2ª série, vol. 1, nº 1 (1995): 319-331
Resumo: "Em termos genéricos, a neutralidade pode ser definida como sendo uma atitude de imparcialidade por parte de um ou mais estados durante um conflito armado. Isto é, um estado que declare a sua neutralidade durante uma guerra não pode apoiar nenhuma das partes que estão em conflito. Por outro lado, e com base no Direito Internacional, a neutralidade implica necessariamente determinados direitos e deveres por parte do país que adoptou essa conduta para com os países beligerantes. Para além disso, o estado neutral, no que concerne especificamente ao seu relacionamento com os estados beligerantes, e à luz da lei tradicional da neutralidade, tem que se pautar por uma estrita imparcialidade. [...]"
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/521
ISSN: 0871-7664
Aparece nas colecções:ARQ - Hist2s - Vol 01 - N 1 - Estudos Gerais (1995)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
LuisMVAndrade_p319-331.pdf107,57 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.