Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/401
Título: A freguesia de Santa Maria de Alcáçova de Santarém : a comunidade eclesiástica
Autor: Botão, Maria de Fátima
Palavras-chave: Concelho de Santarém
Freguesia de Santa Maria de Alcáçova
História da Igreja
História de Portugal (séc. XII-XIV)
Data: 2004
Editora: Universidade dos Açores
Citação: "ARQUIPÉLAGO. História". ISSN 0871-7664. 2ª série, vol. 8 (2004): 207-219
Relatório da Série N.º: História. 2ª série;vol. 8
Resumo: [...] Situemo-nos no adro da igreja de Santa Maria. Ousemos atravessar o portal, avançar pelo claustro e ir ao encontro da comunidade colegial. Aí encontramos, sobretudo se se trata de um dia de cumprimento de culto para os leigos, homens e mulheres que a procuram para conviver e negociar, primeiro com o divino, depois com o terreno... Ali se reza e se trabalha; ali se constrói uma história, produzida pela acção dos homens que alicerçam as estruturas da igreja, desde a sua fundação, nos primórdios da nacionalidade, dos que a administram, que fazem dela um núcleo de dinamização religiosa e económica de prestígio, apoiando- se numa comunidade laica, também ela, em grande parte, responsável pela sua sobrevivência material e espiritual. A freguesia de Santa Maria de Alcáçova de Santarém nasce em torno deste templo que através da acção dos protagonistas da sua história, da própria comunidade de dignidades e cónegos, galvaniza uma parte substancial das vivências sociais, económicas e espirituais de muitos fiéis, que extravasam os limites da própria freguesia e a procuram oriundos de Lisboa e do Porto, Lamego ou Almada1. A igreja polariza pelo seu prestígio, pela sua própria estrutura material, a fé e o poder económico de muitos fregueses escalabitanos e não só procuram uma comunidade eclesiástica que, desde sempre, além de zelar pelo o culto da fé, remissão dos pecados e salvação das almas dos fieis, assegura o ensino e a cultura. O templo funciona, ainda, como centro administrativo de um espaço económico amplo, dando continuidade às suas relações com a sociedade, estabelecendo, com esta, laços que lhe permitem assegurar a sua sobrevivência económica, quer proporcionando concessões para a exploração do património, quer usufruindo dos legados e das doações, que, finda a vida terrena, os fiéis lhe deixam. [...]
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/401
ISSN: 0871-7664
Aparece nas colecções:ARQ - Hist2s - Vol 08 (2004)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Maria_Botao_p207-219.pdf72,3 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.