Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/3822
Título: Dinâmicas nas (re)configurações da cultura organizacional : a Casa de Infância de Santo António (1858-2008)
Autor: Serpa, Sandro Nuno Ferreira
Orientador: Lima, Jorge Manuel Ávila de
Palavras-chave: Casa de Infância de Santo António
Cultura Organizacional
Educação
Education
Organizational Culture
Data de Defesa: 11-Jul-2013
Citação: Serpa, Sandro Nuno Ferreira. "Dinâmicas nas (re)configurações da cultura organizacional: a Casa de Infância de Santo António (1858-2008)". 2013. 485 p.. (Tese de Doutoramento em Educação, especialidade de Sociologia da Educação). Angra do Heroísmo: Universidade dos Açores, 2012. [Consult. Dia Mês Ano]. Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10400.3/3822>.
Resumo: A presente investigação tem por objectivo estudar as dinâmicas presentes nas (re)configurações da cultura organizacional de uma unidade coletiva de acolhimento de crianças e jovens desprotegidas – a Casa de Infância de Santo António – para, deste modo, compreender a sua existência desde há um século e meio. Para esse efeito, analisam-se a formação, consolidação, conservação e transformação da cultura organizacional, através de elementos tais como pressupostos, crenças, valores, estrutura organizacional, normas, funcionamento, ocupação dos espaços, símbolos, celebrações, artefactos e ligações internas e com o exterior. Esta pesquisa, que abarca um período temporal de 1858 a 2008, foi sustentada por um estudo documental, com consulta do arquivo da Casa de Infância de Santo António, de periódicos locais e de documentação de enquadramento político, jurídico e social. Verifica-se que a cultura desta organização sofreu reconfigurações, por vezes de uma forma não linear, para as quais concorreram, ao longo do tempo, quer os contactos estabelecidos com o exterior, a três níveis: na procura de recursos, na tentativa de (re)legitimação das finalidades e actividades aí desenvolvidas e, também, nas influências exercidas nos membros da organização, tudo isto em diferentes contextos sociais, quer, ainda, os contactos acontecidos na organização entre os atores individuais e coletivos. Estas (re)configurações acontecem em contextos nos quais ocorrem alterações das representações sociais e políticas das crianças e jovens socialmente desfavorecidas e, consequentemente, das respetivas soluções a implementar. Por outro lado, a redução quantitativa do número dessas meninas e, ainda, a abertura de outras valências na organização contribuíram para que a cultura de acolhimento (sob diversas formas e fundamentações) tenha, em determinados momentos, vindo a reduzir a sua centralidade relativa e a sua visibilidade quer interna, quer externa. No final do percurso investigativo, identificamos cinco diferentes configurações da cultura organizacional, resultantes de dinâmicas da articulação de elementos novos com elementos antigos, atendendo às transformações dos contextos, quer internos, quer externos à organização que, incessantemente, foram acontecendo e que se enquadram numa dimensão espaço-temporal socio-histórica. Deparámo-nos com realidades complexas, cuja singularidade idiossincrática tem de ser considerada e verificada empiricamente e que advém da co-existência, com fronteiras fluidas entre si, de cultura, culturas, subculturas, contraculturas presentes na organização conforme o período considerado, com variações ao longo do tempo. Podemos concluir, então, que a cultura organizacional mais que um estado é um processo consubstanciado num equilíbrio híbrido e precário de coordenação colectiva, resultante do conjunto de relacionamentos individuais e de relações coletivas, internas e externas à organização, com maior ou menor intencionalidade, e, em consequência, em permanente redefinição e reconstrução.
ABSTRACT: The objective of this research is to investigate the dynamics present in the (re)configuration of the organizational culture of a collective entity host to children and vulnerable youth - the Casa de Infância de Santo António – in order to understand its existence since a century and a half ago. For that purpose, the establishment, consolidation, conservation and transformation of the organizational culture are analysed, through elements such as assumptions, beliefs, values, organizational structure, standards, procedure, occupation of spaces, symbols, celebrations, artefacts and internal and external associations. This research, which comprises the time period from 1858 to 2008, was supported by a documental study with examination of the archives of Casa de Infância de Santo António, of local newspapers and documents of the political, juridical and social context. It is verified that the culture of this organization has experienced reconfigurations, occasionally, in a non-linear mode, for which contributed, throughout the time, either the contacts established with the exterior, on three levels: in the search for resources, in the attempt to (re)legitimize the purposes and activities developed there, and also the influences exerted on the members of the organization, all in different social contexts, or even, within the contacts of the organization between the individual and the collective actors. These (re)configurations take place in contexts in which changes of social representations and policies of socially disadvantaged children and youth occur and consequently, the respective solutions to implement. On the other hand, the quantitative decrease of the number of these girls, and also the opening of other facilities in the organization contributed so that the host culture (under various forms and rationales) has, at certain moments, been diminishing its relative centrality and its visibility both internally and externally. At the end of the investigative trajectory, we identify five different configurations of the organizational culture, resulting from the dynamics of articulation of new elements with old elements, in view of the transformations of the contexts, both internal and external to the organization that, were incessantly taking place and that fall under a space-time socio-historical dimension. We were faced with complex realities, whose idiosyncratic uniqueness must be considered and empirically verified and which stems from the co-existence, with permeable boundaries between themselves, of culture, cultures, subcultures, countercultures present in the organization according to the period under consideration, with variations throughout the time. We can conclude, then, that the organizational culture more than a state is a process embodied in a hybrid and precarious balance of collective coordination, resulting from a set of individual relationships and collective relations, internal and external to the organization, with greater or lesser intentionality, and, consequently, in permanent redefinition and reconstruction.
Descrição: Tese de Doutoramento, Educação (Sociologia da Educação), 11 de Julho 2013, Universidade dos Açores.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/3822
Designação: Doutoramento em Educação
Aparece nas colecções:DEDU - Teses de Doutoramento / Doctoral Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TeseDoutoramentoSandroNunoFerreiraSerpa2013.pdf3,11 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.