Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/3330
Título: Algas marinhas : adaptações à vida num ambiente particular
Autor: Neto, Ana I.
Palavras-chave: Crosta
Metabolitos
Musgo
Pigmentos
Polissacáridos Acídicos
Data: 2014
Citação: Neto AI (2014). "Algas marinhas: adaptações à vida num ambiente particular". X Congreso Latinoamericano de Ficología y VIII Reunión Iberoamericana de Ficología. Mesa Redonoda 6 –Algas, química e ecología, Abstract Book, p. 30, Metepec, Mexico, 5-10 de outubro.
Resumo: O meio marinho é um ambiente hostil para muitos organismos sobretudo para aqueles que dependem de um substrato de fixação e de luz para sobreviver. Estão nesta categoria as macroalgas que compreendem o maior e mais complexo grupo de algas das costas rochosas, englobando organismos filogeneticamente distintos mas morfologicamente semelhantes, como resultado de uma adaptação perfeita ao seu habitat e modo de vida. Latitudinalmente observa-se uma zonação destes organismos no globo que reflete a sua adaptação às variações de temperatura. A produção de pigmentos adicionais permite-lhes absorver diferentes comprimentos de onda e assim fotossintetizar a níveis mais baixos de luz, o que lhes garante a sobrevivência a maiores profundidades. Os pigmentos adicionais, e.g. carotenóides e xantofilas, podem ser produzidos como um escudo protetor das algas intermareais para o excesso de radiação solar em períodos de baixa-mar. A produção de moléculas não essenciais, conhecidas por metabolitos secundários, é outra resposta fisiológica das macroalgas a intervenções ecológicas, e.g. excesso de radiação, epifitismo, herbivoria. A produção de polissacáridos acídicos (sulfatados e/ou carboxílicos) ao nível da parede celular das algas marinhas tem função de suporte esquelético, aumentando a força mecânica e a flexibilidade do tecido celular, sugerindo uma adaptação específica para conferir às macroalgas a elasticidade e rigidez necessárias à vida num ambiente em que a ação hidrodinâmica é uma constante. A nível morfológico destacam-se igualmente algumas adaptações particulares das macroalgas e.g. crescer na forma de caules múltiplos, crosta, musgo, excelentes adaptações ao hidrodinamismo, dessecação e herbivoria.
Descrição: X Congreso de Ficología de Latinoamérica y El Caribe. VIII Reunión Iberoamericana de Ficología 5-10 de octubre de 2014. Metepec, México.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/3330
Aparece nas colecções:DB - Comunicações a Conferências / ConferenceItem

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2014_Neto_XCFLC_Sofilac_Metepec.pdf637,83 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.