Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/322
Título: Físicos, cirurgiões e boticários nas naus dos descobrimentos
Autor: Castro, Aníbal de
Palavras-chave: Ciência (séc. XVI)
Medicina (séc. XVI)
História dos Descobrimentos (séc. XVI)
História de Portugal (séc. XVI)
Data: 2000
Editora: Universidade dos Açores
Citação: "ARQUIPÉLAGO. História". ISSN 0871-7664. 2ª série, vol. 4, nº 2 (2000): 535-550
Relatório da Série N.º: História. 2ª série;vol. 4(2)
Resumo: [...] Uma conclusão parece desde logo legítima e segura: até finais do século XV, seriam muito poucas as armadas que levavam médicos ou oficiais de saúde nas suas guarnições. A partir do início de Quinhentos, porém, tal presença foi-se tornando cada vez mais frequente, não tanto como elementos integrados nas tripulações, mas sim porque nelas se encontravam na qualidade de passageiros. É o caso, por exemplo, daquele Mestre João, físico, embarcado em 1500 na armada de Pedro Álvares Cabral, do Mestre Afonso, cirurgião, que em 1510 seguiu na frota de Diogo Mendes de Vasconcelos, ou de Mestre Lourenço, também cirurgião, que em 1512 embarcou na nau S. Gião, sob o comando de Garcia de Sousa, para não falar de Garcia de Orta que velejou para a Índia em Março de 1534, na armada de Martim Afonso de Sousa, e em Goa viria a publicar, volvidos quase 30 anos, os Colóquios dos simples e drogas e cousas medicinaes da India. [...]
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/322
ISSN: 0871-7664
Aparece nas colecções:ARQ - Hist2s - Vol 04 - N 2 (2000)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Anibal_de_Castro_p535-550.pdf43,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.