Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/3205
Título: Avaliação do efeito da luz e temperatura no crescimento in vitro de Ulva rigida C. Agardh (Chlorophyta, Chlorophyceae)
Autor: Magalhães, Bruno Ivo Martins Marques
Orientador: Neto, Ana I. (Isabel de Melo Azevedo)
Palavras-chave: Fisiologia Vegetal
Macroalgas Marinhas
Ulva rigida C. Agardh
Açores
Marine Macroalgae
Azores
Data de Defesa: 30-Out-2014
Citação: Magalhães, Bruno Ivo Martins Marques. "Avaliação do efeito da luz e temperatura no crescimento in vitro de Ulva rigida C. Agardh (Chlorophyta, Chlorophyceae)". 2014. viii, 52 p.. (Dissertação de Mestrado em Biodiversidade e Biotecnologia Vegetal). Ponta Delgada: Universidade dos Açores, 2014.
Resumo: A utilização de macroalgas marinhas com fins nutricionais e de saúde remonta a épocas muito antigas, havendo registos arqueológicos na América do Sul de há mais de 12000 anos a.c. Na atualidade as potencialidades das macroalgas marinhas são reconhecidas e alvo de interesse generalizado, particularmente nos países ocidentais. Algumas das espécies de maior importância económica mundial, indicadas pela FAO, pertencem às algas verdes (divisão Chlorophyta), de que é exemplo a macroalga Ulva rigida C. Agardh. Esta espécie oportunista tem uma distribuição cosmopolita, sendo abundante no litoral açoriano onde tem um papel importante nas comunidades do intertidal rochoso. Apesar da sua importância e distribuição, a fisiologia destes organismos nunca foi objeto de investigação nestes sistemas insulares. O presente projeto pretendeu contribuir para colmatar esta lacuna e teve como objetivo avaliar o efeito da temperatura e da luz no crescimento de plantas de Ulva rigida em cultivo in vitro. Coletaram-se indivíduos selvagens que foram submetidos a cultivo controlado em laboratório em diferentes combinações de temperatura (10, 15 e 20ºC) e fotoperíodo (24 dia; 16 dia/8 noite; 12 dia/12 noite; 8 dia/16 noite), utilizando os meios de cultivo von Stosch, com e sem refrescamento, e água salgada enriquecida com nutrientes numa combinação de Nitrato 32: Fósforo 2 (N32P2), com e sem refrescamento. Os resultados revelaram que o crescimento algal foi maior às temperaturas de 15 e 20ºC e menor a 10ºC e significativamente maior quando se usou meio de cultivo von Stosch comparativamente a N32P2. A mortalidade algal em meio von Stosch foi menor também nas duas temperaturas mais elevadas (20 e a 15ºC). No meio N32P2 sem refrescamento não se registou nenhum epifitismo, mas quando houve refrescamento e em ambos os casos em meio von Stosch, registaram-se altos níveis de epifitismo. O maior crescimento de U. rigida às temperaturas testadas e para o fotoperíodo de 16 horas de luz, pode estar relacionado com uma adaptação às condições encontradas no ecossistema açoriano, pois as temperaturas mínimas médias da superfície nerítica são de 15-16ºC. Verificou-se fotoinibição nos cultivos submetidos a luz contínua de 16200 lux durante 24 h. A inibição foi superior nas situações em que se efetuou refrescamento do meio com adição de nutrientes.
ABSTRACT: The use of marine macroalgae for nutritional and health purposes dates back to ancient times, with archaeological records from South America dating back to 12,000 years BC. At present, the potential of seaweeds are recognized and targeted for widespread interest, particularly in Western countries. Some of the world's most economically important species indicated by FAO belong to the green algae (Chlorophyta), as exemplified by Ulva rigida C. Agardh. This opportunistic species has a cosmopolitan distribution, being abundant in the Azorean coasts, where it has an important role in the rocky intertidal communities. Despite its importance and distribution, the physiology of these organisms has never been investigated in these insular systems. This project intended to fulfill this gap and was aimed at evaluating the effect of temperature and light on the in vitro growth of Ulva rigida. For this purpose, wild individuals were collected and subjected to controlled in vitro cultures at different combinations of temperature (10, 15 and 20ºC) and photoperiod (24 day, 16 day/8 night; 12 day/ 12 night; 8 day/16 night), using as culture media von Stosch, with and without refreshing, and saltwater enriched with nutrients in a combination of nitrate 32: Phosphor 2 (N32P2), with and without refreshing. Results revealed that the algal growth was greater at the temperatures of 15 and 20°C and lower at 10°C, and significantly greater in von Stosch culture medium in comparison with N32P2. The algal mortality was lower in von Stosch medium at the two higher tested temperatures (20 and 15°C). Epiphytism was absent in medium N32P2 without refreshing, but high levels of epiphytism were recorded in N32P2 with refreshing and in von Stosch medium, with and without refreshing. The best growth recorded for the photoperiod of 16 hours light, can reflect an adaptation of U. rigida to the local conditions, where average minimum temperatures of surface waters are 15-16°C. There was photoinhibition in the cultures submitted to continuous light of 16200 lux for 24 h. This inhibition was higher when the medium was refreshed with new nutrients.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Biodiversidade e Biotecnologia Vegetal
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/3205
Designação: Mestrado em Biodiversidade e Biotecnologia Vegetal
Aparece nas colecções:DB - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoBrunoIvoMartinsMarquesMagalhaes2014.pdfDissertação de Mestrado4,16 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.