Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/3203
Título: Matrizes e Quadrados Mágicos
Autor: Teixeira, Ricardo Emanuel Cunha
Palavras-chave: Matemática
Divulgação Científica
Matrizes
Quadrados Mágicos
Data: 21-Nov-2014
Editora: IAIC - Informação, Animação e Intercâmbio Cultural
Citação: Teixeira, Ricardo C. (2014). "Matrizes e Quadrados Mágicos", «Tribuna das Ilhas», 21 de novembro de 2014: p. 7.
Resumo: Na sociedade atual, completamente dominada pela constante procura de informação, faz todo o sentido recorrer a formas organizadas de apresentar os dados recolhidos que permitam uma leitura rápida e acessível. As matrizes, pela sua estrutura, possibilitam este tipo de abordagem com vista ao tratamento de uma grande quantidade de informação. (...) Poucas áreas da Matemática sofreram nos últimos 30 anos uma evolução tão significativa como a Teoria de Matrizes. Isto deve-se ao desenvolvimento de computadores cada vez mais potentes do ponto de vista da capacidade computacional, bem como à introdução de métodos matriciais em diferentes áreas de aplicação. Atualmente, a Teoria de Matrizes é utilizada com frequência para modelar muitos fenómenos do mundo real. Mas quando é que surgiu este ramo da Matemática? (...) Embora este ramo da Matemática tenha sido desenvolvido a partir de meados do século XIX, conceitos elementares de matrizes remontam ao período anterior ao nascimento de Cristo, uma vez que os chineses aplicavam métodos matriciais para resolver certos sistemas de equações. Os quadrados mágicos constituem outro exemplo de aplicação rudimentar do conceito de matriz. As lendas sugerem que os quadrados mágicos são originários da China, tendo sido referidos pela primeira vez num manuscrito do tempo do imperador Yu, cerca de 2200 a. C. (...) Em 1514, Albrecht Dürer, conhecido artista da Renascença, pintou um quadro intitulado "Melancolia", onde figura um quadrado mágico, precisamente de ordem 4 (figura 2). De notar que os dois números centrais da última linha do quadrado permitem ler "1514", o ano em que o quadro foi pintado. O leitor pode comprovar que a soma dos números de cada linha, de cada coluna e de cada uma das duas diagonais desse quadrado é sempre igual a 34, a constante mágica. Além disso, 34 é a soma dos números dos cantos (16+13+4+1=34) e do quadrado central 2x2 (10+11+6+7=34). (...)
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/3203
Versão do Editor: http://www.tribunadasilhas.pt/index.php/opiniao/item/9122-matrizes-e-quadrados-mágicos
Aparece nas colecções:DM - Jornal ou Revista / Newspaper or Magazine

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ricardo C Teixeira A53.pdf216,84 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.