Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/3106
Título: By-catch de espadarte (Xiphias gladius) e tintureira (Prionace glauca) juvenil no palangre de superfície
Autor: Martins, Luís Miguel Antunes
Orientador: Afonso, Pedro
Palavras-chave: Espadarte (Xiphias gladius)
Pesca de Palangre
Tintureira (Prionace glauca)
Data de Defesa: 11-Out-2013
Citação: Martins, Luís Miguel Antunes. "By-catch de espadarte (Xiphias gladius) e tintureira (Prionace glauca) juvenil no palangre de superfície". 2013. X, 48 p.. (Dissertação de Mestrado em Estudos Integrados dos Oceanos). Horta: Universidade dos Açores, 2013.
Resumo: A pesca de palangre de superfície apresenta elevadas rejeições e capturas acessórias, ou "by-catch", o que coloca graves problemas de gestão e conservação. Parte destes problemas reside na elevada captura de juvenis da espécie alvo, o espadarte (Xiphias gladius), e da principal espécie acessória, a tintureira (Prionace glauca). Com este trabalho pretendeu-se contribuir com informação ecológica relevante para avaliar possíveis medidas tecnológicas de mitigação destas capturas, nomeadamente modificações na arte quanto ao tipo de estralho, hora e profundidade do aparelho. Foram realizados 163 lances nas áreas dos Açores e Continente a bordo de três embarcações comerciais, com estralhos de aço e de monofilamento. 42 lances foram parcialmente instrumentados com temporizadores de anzol (7494 anzóis) e com registadores de temperatura e profundidade para determinar a hora e profundidade a que os indivíduos atacam o isco. A proporção média de juvenis de espadarte e tintureira capturados foi sempre superior a 50%, independentemente da área ou tipo de estralho. No entanto, nos 106 lances realizados nos Açores com estralhos de aço foram capturados 901 espadartes (CPUE de 8,1/1000 anzóis) e 6365 tintureiras (56,0/1000 anzóis), enquanto nos 28 lances com estralho de monofilamento foram capturados 590 espadartes (19,3/1000 anzóis) e 754 tintureiras (24,9/1000 anzóis). A proporção de juvenis foi semelhante nos dois tipos de estralho (espadarte 57,17% vs. 58,4%, tintureira 84,72% vs. 92,8%). Estes resultados mostram que o "bycatch" de juvenis das duas espécies é muito elevado, mas que o uso de monofilamento permite capturas de espadarte (a espécie alvo) significativamente superiores (2,4 vezes) e de tintureira significativamente inferiores (0.4 vezes) às obtidas com estralho de aço. A comparação de capturas entre áreas (apenas com estralhos de monofilamento) revelou também que as proporções de juvenis de ambas as espécies são comparáveis (espadarte 92,8 vs. 84,9%; tintureira 58,4 vs. 47,8%) mas que as capturas de tintureira são muito maiores na área Açores (CPUE média 24,9 vs. 3,1) enquanto as de espadarte são ligeiramente superiores (CPUE 19,3 vs. 15,6). A instrumentação da linha mostrou que ambas as espécies preferem as primeiras horas do período nocturno, mas que o espadarte ataca apenas durante a noite enquanto a tintureira ataca também durante o dia. Ambas as espécies atacaram entre os 30 e os 80 metros de profundidade. No entanto, não foram detectadas diferenças significativas no período do dia ou na profundidade entre adultos e juvenis para ambas as espécies. Estes resultados indicam que 1) a utilização de estralho de monofilamento em detrimento de estralho de aço poderá ser uma medida eficaz para redução de “by-catch” juvenil (e adulto) de tintureira permitindo ainda um aumento da captura de espadarte adulto, mas também de "bycatch" juvenil, e que 2) a hora e a profundidade de pesca do palangre não deverão constituir uma boa medida tecnológica de redução do "by-catch" de espadarte juvenil de ambas as espécies. Este trabalho suporta também a conclusão apontada por outros estudos de que a região dos Açores é uma área de maternidade importante para a tintureira no Atlântico norte.
ABSTRACT: The pelagic longline fishery faces severe management and conservation problems related to its high levels of by-catch, juvenile swordfish (Xiphias gladius), the target species, and blue shark (Prionace glauca), the main accessory species. This project aimed at contributing with relevant ecological information to evaluate possible technological measures that could reduce this juvenile by-catch, namely type of leader (steel wire versus monofilament), hour and depth of hook setting. 163 sets were made onboard three commercial vessels around the Azores and mainland Portugal areas. 42 sets were partially instrumented with hook timers (7494 hooks) and Temperature Depth Recorders to study the hooking time and depth. Juveniles of both species were always above 50% of the catches per species, regardless of area and leader type. However, 901 swordfish (CPUE 8.1/1000 hooks) and 6365 blue shark (56.0/1000 hooks) were caught in 106 wire leader sets in the Azores area whereas the 28 monofilament sets caught 590 swordfish (19.3/1000 hooks) and 754 blue shark (24.9/1000 hooks). Proportion of juveniles was comparable between wire and mono sets for both species (57.2% vs. 58.4% and 84.7% vs. 92.8%, respectively). These results show that the use of mono leader allows significantly larger (2.4 times) catches of swordfish, the target species, whereas those of blue shark are significantly (0.4 times) lower than wire leader catches. Comparison between areas (mono leaders only) showed substantially higher catches of blue shark (avg. CPUE 24.9 vs. 3.1) and slightly higher catches of swordfish (CPUE 19.3 vs. 15.6) in the Azores for comparable proportions of juveniles in both species (swordfish 92.8 vs. 84.9%; blue shark 58.4 vs. 47.8%). The instrumented line showed a common preference o bite the hook in the first hours of the nightime period. However, swordfish bites the hook at night only whereas blue shark also bites during the day. Both species bitten the hooks at 30 to 80 meters depth. However, there were no significant differences between juvenile and adult in relation to depth or time of day. These results show that 1) using mono leader can be an effective measure to reduce juvenile (and adult) by-catch of blue shark while increasing swordfish catches but at the cost of also increasing juvenile swordfish by-catch, and that 2) time of day or depth of line setting don’t seem to be effective measures to reduce juvenile by-catch of both species. This work also supports previous findings that the Azores region is an important nursery for blue shark in the North Atlantic.
Descrição: Dissertação de Mestrado, Estudos Integrados dos Oceanos, 11 de Outubro 2013, Universidade dos Açores.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/3106
Aparece nas colecções:DOP - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoResumoIndIntrodLMAM2013.pdfResumo, Índice, Introdução420,24 kBAdobe PDFVer/Abrir
DissertMestradoLuisMiguelAntunesMartins2013.pdfDissertação de Mestrado1,29 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.