Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/2768
Título: A Dúvida de Cézanne como propedêutica da arte no séc. XXI
Autor: Castro, Maria Gabriela
Palavras-chave: Arte
Merleau-Ponty
Cézanne
Fenomenologia
Estética
Hermenêutica
Data: 2009
Editora: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
Citação: Castro, Maria Gabriela (2009). "A Dúvida de Cézanne como propedêutica da arte no séc. XXI", in Phainomenon, Revista de Fenomenologia, número 18/19 – Primavera e Outono de 2009, Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Universidade de Lisboa, Lisboa, pp. 175-183. ISSN 0874-9493.
Resumo: Desde a Antiguidade Clássica que a noção de arte se prende com a capacidade que o ser humano tem para produzir, criar ou fazer aparecer algo: uma escultura, uma pintura, uma poesia ou uma música. Se procurarmos a origem desta capacidade criativa existente no ser humano, encontrá-la-emos quer na razão, quer na imaginação, consoante o universo ontológico em que nos coloquemos: o da objectividade de herança aristotélico-tomista ou o da subjectividade de herança kantiana. Com o avanço científico-tecnológico conhecido no séc. XX, o objecto científico deixou de ser "dado" e passou a ser "construído", isto é, produzido ou criado pela inter-relação existente entre o cientista e a sua investigação. Esta posição, que Bachelard assume na sua perspectiva científica abre, no domínio especulativo, um enorme campo justificativo do "Poema" em Heidegger, ou da afirmação orteguiana de que "a física é poesia".
ABSTRACT: Starting from the question of Émile Bernard to Cézanne: "nature and art are not different?", and the painter's answer: "I would like to join them", we thought that it would be possible to link the spirit of this sentence with the advances of the art in the 21st century. Cézanne's attitude designs the union between the two realities: art and nature. This union, in the 21st century, has a new artistic representation called bio-art. With bio-art the dichotomy between art and nature disappears and the artistic-scientific product, as a phenomenological object, is a new substance and opens a new ontology.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/2768
ISBN: 0874-9493
Aparece nas colecções:DHFA - Artigos em Revistas Nacionais / Articles in National Journals

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A dúvida de Cézanne como propedêutica da arte no século XXI.pdf2,47 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.