Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/2388
Título: Vivências, perspectivas e receptividade de agricultores Açorianos a modos de produção sustentáveis
Autor: Sobral, Marcela
Arroz, Ana Margarida Moura
Rodrigues, António Félix Flores
Palavras-chave: Agricultura Biológica
Educação Ambiental
Açores
Data: 15-Out-2013
Editora: Universidade dos Açores
Citação: Sobral, M., Arroz, A., Rodrigues, A., (2013). "Vivências, perspectivas e receptividade de agricultores Açorianos a modos de produção sustentáveis". «VII Congresso da APDEA; V Congresso da SPER; I Encontro Lusófono em Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural». Colégio do Espírito Santo, Universidade de Évora: Évora, Portugal, 15 a 18 de Outubro de 2013 (Comunicação).
Resumo: O arquipélago dos Açores em Portugal é uma região predominantemente agrícola, em que muitos dos problemas da sustentabilidade económica/ambiental passam pela actuação dos agricultores no meio. Assim, o presente trabalho procurou levantar as práticas atuais dos agricultores das ilhas do núcleo central (Terceira, São Jorge, Graciosa, Pico e Faial) através de um processo calcado na Educação Ambiental, como instrumento de construção do desenvolvimento sustentável, e no pressuposto de que a participação é um mecanismo de empowerment (inclusão da “voz” dos cidadãos e promoção da sua autonomia). Teve também como objetivo a aplicação de uma metodologia de participação que conduzisse à criação de um espaço de discussão das dificuldades atuais da agricultura local, ao mesmo tempo educativo e de empowerment, no sentido de discutir, tanto na perspectiva individual como no das políticas públicas, o papel da agricultura biológica como alternativa para a sustentabilidade do desenvolvimento local. Tendo por base este contexto rural e insular foi selecionado um público público-alvo de agricultores de cada uma das cinco ilhas do grupo central para a aplicação de questionários e discussão em uma concepção participativa denominada “Diálogo Rural Participativo”. A participação social tende a contribuir para o planeamento assente no modelo sustentável, contudo face a um conjunto de condicionantes geográficas, políticas e sociais os agricultores açorianos possuem uma tradição participativa muito reduzida.Os resultados demonstram também como são as práticas agrícolas do grupo central açoriano, (caracterizadas por seus protagonistas) nos dados levantados e pela sistematização de um inventário, em formato de mapa conceitual, dos problemas com que a agricultura regional se debate e de possíveis propostas relativas às políticas públicas, levantadas por seus próprios intervenientes (de forma participativa) seja na esfera ambiental (como gestão da água, alterações climáticas, uso de pesticidas e adubos); econômica (como acesso ao mercado e falta de competitividade local); ou social (como a falta de mão de obra, diminuição da população e a falta de formação técnica, entre outros).
Descrição: VII Congresso da APDEA; V Congresso da SPER; I Encontro Lusófono em Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural. Colégio do Espírito Santo, Universidade de Évora: Évora, Portugal, 15 a 18 de Outubro de 2013.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/2388
Aparece nas colecções:DEDU - Comunicações a Conferências / ConferenceItem

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
VIVÊNCIAS, PERSPECTIVAS E RECEPTIVIDADE DE AGRICULTORES AÇORIANOS A MODOS DE PRODUÇÃO SUSTENTÁVEIS.pdf1,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.