Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1918
Título: Consumo de madeiras e produção de partículas fecais pelas espécies de térmitas açorianas da família Kalotermitidae: Kalotermes flavicollis e Cryptotermes brevis
Outros títulos: Wood consumption and pellet production by Azorean Kalotermitidae: Kalotermes flavicollis and Cryptotermes brevis
Autor: Ferreira, Maria T.
Myles, Timothy G.
Borges, Annabella
Guerreiro, Orlando
Borges, Paulo A. V.
Palavras-chave: Térmita de Madeira
Drywood Termite
Açores
Azores
Data: 2007
Editora: Principia
Citação: Ferreira, M., Myles, T.G., Borges, A. Guerreiro, O.& Borges, P.A.V. (2007). "Consumo de madeiras e produção de partículas fecais pelas espécies de térmitas açorianas da família Kalotermitidae: Kalotermes flavicollis e Cryptotermes brevis". In P.A.V. Borges & T. Myles (eds.), «Térmitas dos Açores». Estoril (Lisboa), Principia, pp. 47-61.
Resumo: Existem nos Açores duas espécies de térmitas da família Kalotermitidae: a Kalotermes flavicollis é uma térmita de madeira verde e é uma praga urbana menor. A Cryptotermes brevis é uma térmita de madeira seca e é uma importante praga para mobiliário e estruturas. São analisadas as espécies de madeira consumidas por cada espécie nos Açores sendo descritas diferenças na cor, tamanho, forma, e modo de despejo das partículas fecais. A taxa de consumo de madeira e a produção de partículas fecais para a espécie Cryptotermes brevis foram estudadas em 49 tipos diferentes de madeiras. Verificou-se que duas espécies de madeira produzidas localmente e muito usadas na construção, Cryptomeria japonica e Eucalyptus sp., foram das mais consumidas, indicando a importância do desenvolvimento de um sistema local para tratamento por pressão em autoclave das madeiras. Entre as madeiras menos consumidas (mais resistentes) encontram-se espécies tropicais, como o Jatobá e a Maçaranduba. As partículas fecais que são expulsas das galerias pelas térmitas são a forma mais conspícua de detectar infestações por Cryptotermes brevis, dando bons meios para monitorizar a localização de térmitas, o tamanho da colónia e a sua actividade. Foi verificado que a expulsão de partículas fecais é descontínua. Contudo, alguns períodos de expulsão de partículas fecais são contínuos por alguns dias, com taxas de expulsões de 274 partículas fecais, por hora, com acumulações de até 7,8 gramas num período de duas semanas.
ABSTRACT: Two termite species of the family Kalotermitidae occur in the Azores: Kalotermes flavicollis is a dampwood termite and minor house pest. Cryptotermes brevis is a dry wood termite and a major pest of furniture and structures. Records of wood species consumed by each species in the Azores are reviewed. Differences in the color, size, shape, disposal of fecal pellets of each species are described. Rates of wood consumption, pellet production were experimentally studied for Cryptotermes brevis on 49 different wood species. Two wood species that are locally produced and widely utilized for construction, Cryptomeria japonica and Eucalyptus sp., were found to be among the most preferred woods for termite consumption indicating an important need for the development of an effective local pressure treatment system for preserving these woods. Least preferred (most resistant woods) included tropical hardwood species such as Jatobá and Maçaranduba. Fecal pellets expelled from galleries by termites are the most conspicuous evidence of Cryptotermes brevis infestations and provide a potential means of monitoring termite location, colony size and activity. Pellet expulsion was found to be discontinuous. However some bouts of pellet dumping were observed to be continuous for at least several days with rates of pellet expulsion of up to 274 pellets per hour, with pellet accumulations of as much as 7.8 grams over a two-week period.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1918
ISBN: 978-972-8818-98-2
Aparece nas colecções:DCA - Parte ou Capítulo de um Livro / Part of Book or Chapter of Book

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ferreira et al..pdf689,38 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.