Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1687
Título: Guia para definição de biótopos costeiros em ilhas oceânicas
Outros títulos: Coastal biotope definition manual for oceanic islands
Autor: Wallenstein, Francisco
Neto, Ana I.
Álvaro, Nuno V.
Tittley, Ian
Azevedo, José M. N.
Palavras-chave: Biótopos Costeiros
Flora Algal Marinha
Musgo Algal
Açores
Data: 2009
Editora: Secretaria Regional do Ambiente e do Mar
Citação: Wallenstein, F.M., Neto, Ana, I., Álvaro, N., Tittley, I., Azevedo, J.M.N. (2009). "Guia para definição de biótopos costeiros em ilhas oceânicas". Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, Horta, 92 p.. ISBN 978-972-99884-9-3.
Resumo: Este manual tem como finalidade a descrição de uma série de metodologias para a recolha e análise de dados a utilizar na definição de biótopos costeiros. Estas metodologias foram desenvolvidas para uso lato em ilhas oceânicas, como forma de ultrapassar a inaplicabilidade das abordagens existentes a comunidades de algas dominadas por musgos. A necessidade de comparar comunidades no espaço e no tempo requer que estas sejam monitorizadas de forma comparável, o que só é possível quando se aplicam métodos idênticos. Este manual foi concebido para ajudar a alcançar estes objectivos. O leitor é provido de informação de base sobre os habitats costeiros específicos de ilhas oceânicas, em particular dos Açores, cujas características influenciam a estrutura de comunidades algais e as espécies chave que as caracterizam no contexto da flora global. Ilucida-se o leitor sobre vários problemas taxonómicos que podem surgir aquando da implementação destas metodologias, nomeadamente no manuseamento das principais categorias algais características das comunidades costeiras. A distribuição vertical dos organismos, relativamente ao nível das marés e em profundidade é uma característica importante das costas das ilhas oceânicas e é brevemente abordada, enfatizando a principal forma de expressão das comunidades marinhas açorianas – o musgo algal. Há um vasto historial de estudos ecológicos costeiros, uns meramente descritivos, outros quantitativos, que recorrem a vários métodos estatísticos e numéricos para classificação de comunidades. A informação de base é complementada com a utilização prática da classificação de biótopos e a sua aplicação à gestão de conservação. A secção mais importante do manual expõe o método de levantamento de dados em campo, apresentado como um protocolo de prioridades, começando pela escolha do local, seguida do registo de propriedades físicas do meio ambiente e levantamentos estratificados com registo quantitativo de taxa ao longo de transeptos. Segue-se um protocolo para a análise numérica dos dados e as resultantes fichas técnicas dos biótopos identificados nas ilhas de Santa Maria e São Miguel, onde são listadas as espécies constituintes e apresentadas breves descrições ecológicas.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1687
ISBN: 978-972-99884-9-3
Aparece nas colecções:DBIO - Livro / Book

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
metodosPT.pdf22,97 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.