Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1543
Título: Posicionamento genético do gado bravo da ilha Terceira em relação à Raça Brava de Lide
Autor: Correia, Pedro Bettencourt Cardoso
Orientador: Cañón Ferreras, Javier
Silva, Joaquim Fernando Moreira da
Palavras-chave: Brava dos Açores
Genética Animal
Marcadores Genéticos
Raças Bovinas
Raça Brava de Lide
Autosomal Microsatellite Markers
Lidia Cattle
Data de Defesa: 21-Mar-2012
Citação: Correia, Pedro Bettencourt Cardoso – "Posicionamento genético do gado bravo da ilha Terceira em relação à Raça Brava de Lide". Angra do Heroísmo : Universidade dos Açores. 2012. IX, 85 f.. Dissertação de Mestrado.
Resumo: A raça Brava de Lide apresenta uma estrutura, muito particular, dividida em várias estirpes, designadas por encastes. Na ilha Terceira, as condições do meio e a selecção pelos ganadeiros, associadas à cultura taurina da tourada à corda, promoveram o desenvolvimento de uma população bovina designada por Brava dos Açores. Este estudo teve por objectivo conhecer os encastes do toiro de lide que podem ter influenciado a formação da estirpe Brava dos Açores, através da análise de marcadores microssatélites autossómicos. Para isso, foram seleccionadas três ganadarias da estirpe Brava dos Açores, nomeadamente a ganadaria Rego Botelho, José Albino Fernandes e Eliseu Gomes, num total de 90 animais (30 por ganadaria); uma ganadaria do continente Português, ganadaria Irmão Dias num total de 30 animais e 42 ganadarias inscritas na Unión de Criadores de Toros de Lidia, oriundas dos mais diversos encastes espanhóis, à excepção da Casta Navarra, num total de 1191 animais. A todos os animais seleccionados, foi-lhes retirada uma amostra de sangue periférico, o qual foi directamente enviado para análise no Laboratório de Genética da FMV da Universidade Complutense de Madrid. Os resultados obtidos das amplificações desses marcadores moleculares foram analisados no programa STRUCTURE para vários números de populações ancestrais (valores de K). Para K=2 os animais da população Brava dos Açores partilharam semelhanças com um grupo ancestral constituído por ganadarias de origem portuguesa e espanhola (Casta Portuguesa, Cabrera, Gallardo, Vistahermosa – Picavea de Lesaca e cruzamentos com Casta Vasquenha) (75,9% ± 20,1%). No entanto, em K=3, as ganadarias oriundas da Casta Vistahermosa – Picavea de Lesaca, constituíram um novo grupo ancestral. O aumento dos valores de K para 8 fez com que a maioria dos indivíduos das ganadarias da população Brava dos Açores partilhasse semelhanças elevadas com a ganadaria espanhola de Concha y Sierra, originária a partir da Casta Vasquenha (84,5% ± 14,3%). Alguns animais das ganadarias açorianas mostraram semelhanças com encastes provenientes das castas Portuguesa, Cabrera, Vasquenha e Vistahermosa que variaram entre 11,6% e 42,5%. O aumento de K para 12 mostrou resultados semelhantes aos obtidos com oito populações ancestrais, mas isolou as ganadarias açorianas das restantes, tendo a ganadaria Irmãos Dias continuado agrupada à ganadaria espanhola Miura, separando-se desta em K=25. Para 40 populações ancestrais consideradas, a ganadaria açoriana Rego Botelho formou um grupo separado das ganadarias José Albino Fernandes e Eliseu Gomes, possivelmente pela maior diversidade de origens que aporta. Contudo, as ganadarias açorianas voltaram a ter resultados semelhantes aos de K=8, 12 e 25. A maioria dos animais destas populações partilhou mais semelhanças, formando um grupo diferenciado e alguns animais compartiram porções do genoma semelhantes aos animais de ganadarias oriundas das castas Vasquenha (encastes Concha y Sierra e Veragua), Cabrera (ganadaria Guillermo Acosta Otero) e Vistahermosa (encaste Gamero Cívico, Atanasio Fernández, Murube, Saltillo e Domecq) com valores entre os 11,2% e os 35%. Este trabalho permite claramente concluir que os animais das ganadarias de população Brava dos Açores têm influência das castas Portuguesa, Vasquenha, Cabrera e Vistahermosa.
ABSTRACT: Lidia cattle present a very particular structure divided in several families or lineages, designated by encastes. In Terceira Island, the environment and selection by the bull’s breeders to the typical street bullfighting named by natives as “tourada à corda”, promoted a development of a new population, Brava dos Açores. The present study aimed to describe the Lidia cattle’s lineages that could have influenced the actual formation of the Brava dos Açores’ population, through autosomal microsatellite markers. The results from these molecular markers were analyzed in the STRUCTURE program, where several numbers of ancestral clusters (K values) were observed. It was included animals from three herds of the Brava dos Açores’ population, one herd of Casta Portuguesa and forty-two herds from the Unión de Criadores de Toros de Lidia, from almost all lineages, with the exception of Casta Navarra. For K=2 the animals from Brava dos Açores’ population share 75,9% (± 20,1%) of resemblances with a ancestral cluster constituted by herd’s from Portuguese and Spanish lineages (Casta Portuguesa, Cabrera, Gallardo, Vistahermosa – Picavea de Lesaca and crossbreed’s with Casta Vasquenha). Nevertheless, in K=3 values, the herd’s of Casta Vistahermosa (Picavea de Lesaca) formed a new ancestral cluster. Increasing the K values to 8 ancestral clusters, allowed assign high similarities between most of the animals, from Brava dos Açores and the Spanish herd Concha y Sierra, originated in Casta Vasquenha (84,5% ± 14,3%). Some animals from the azorean herds showed similarities with encastes from Casta Portuguesa, Cabrera, Gallardo, Vasquenha and Vistahermosa, which ranged between 11,6% and 42,5%. The increase of K value to 12 showed similar results with the 8 ancestral populations, but the Azorean herds remained isolated from the rest. The Irmãos Dias’ herd, in the K=12 analysis, is still in the same group of the Miura’s herd, but at 25 ancestral clusters they become apart, forming different groups. When K=40, the Azorean herd of Rego Botelho became a unique single group separated from the herds of José Albino Fernandes and Eliseu Gomes. This result could have occurred due to a major diversity of origins. However, the Azorean herds have showed similar results when K=8, 12 and 25. Most of the animals from these populations shared more similarities with a differentiate group and some of them presented resembled genomic portions assigned to the herds originated from Casta Vasquenha (encastes Concha y Sierra and Veragua), Cabrera (Guillermo Costa Otero farm) and Vistahermosa (encaste Gamero Cívico, Atanasio Fernández, Murube, Saltillo e Domecq) with values between 11,2% and 35%. With this research we can conclude that population of Brava dos Açores have influences of Casta Portuguesa, Vasquenha, Cabrera and Vistahermosa.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Engenharia Zootécnica.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1543
Aparece nas colecções:DCA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoPedroBettencourtCardosoCorreia2012.pdf1,79 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.