Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1323
Título: Estudo do efeito do chá (Camellia sinensis) no conteúdo em colesterol dos ovos
Autor: Sousa, Liliana Maria de Freitas
Orientador: Silva, Célia Costa Gomes da
Palavras-chave: Chá Preto dos Açores
Chá Verde dos Açores
Colesterol
Propriedades Anti-colesterolémicas
Indústria Avícola
Ovos
Tecnologia Alimentar
Azorean Black Tea
Azorean Green Tea
Cholesterol
Egg Yolk
Data de Defesa: 24-Jan-2012
Citação: SOUSA, Liliana Maria de Freitas - Estudo do efeito do chá (Camellia sinensis) no conteúdo em colesterol dos ovos. Angra do Heroísmo : Universidade dos Açores. 2012. IX, 79 f.. Dissertação de Mestrado.
Resumo: O chá, em particular o chá verde, é conhecido pelas propriedades anti-colesterolémicas. Estudos recentes apontam para a possibilidade de se utilizar o chá na redução do colesterol na gema dos ovos (Azeke & Ekpo, 2009), uma vez que os ovos contêm um elevado teor em colesterol, cerca de 200 mg, que corresponde quase ao valor máximo da ingestão diária recomendada pela Associação Americana do Coração (300 mg/dia). Com o presente estudo, pretendeu-se determinar o efeito da inclusão na alimentação das galinhas de chá açoriano (chá preto e chá verde) na diminuição do conteúdo em colesterol da gema de ovo. Utilizaram-se 20 galinhas ISA Brown com 53 semanas de idade, em gaiolas individuais, divididas aleatoriamente em 5 grupos, aos quais foram administrados dois tipos chá (preto e verde) da seguinte forma: controlo (ao qual foi administrada apenas água), chá preto a 0,5%, chá preto a 1%, chá verde a 0,5% e chá verde a 1%. Trinta dias após o início do tratamento foi aumentada a concentração do chá (preto e verde) de 0,5% para 2%. O estudo teve a duração de 9 semanas. Durante este período, o peso das galinhas e o rendimento da produção de ovos não foram afectados pelos tratamentos. A média diária de ingestão de chá não foi também afectada pelos tratamentos, excepto para os tratamentos com 0,5% de chá preto, 0,5% e 1% de chá verde, onde ocorreu um aumento significativo (P<0,05) da ingestão diária. Igualmente, não foram observadas alterações significativas no peso total dos ovos, embora se tenha observado uma redução significativa no peso da casca dos ovos dos grupos tratados com 1% de chá preto, 2% de chá preto e 1% de chá verde de 8,1%, 7,8% e 7,3%, respectivamente. Todos os tratamentos com chá preto e chá verde a 1% e 2% resultaram em reduções significativas (P<0,05) no teor de colesterol total na gema do ovo, ao fim de 6 semanas de tratamento. Os tratamentos com chá preto a 1% e 2% e chá verde a 1% e 2% resultaram numa redução no teor de colesterol em relação ao controlo de 6,1%, 10,3%, 7,7% e 11,7%, respectivamente. No entanto, devido ao facto dos tratamentos provocarem um aumento do peso da gema (P<0,05), não se observaram alterações significativas no teor de colesterol total no ovo (mg/ovo). Apenas o tratamento com chá verde a 2% resultou numa redução significativa (P<0,05) no teor em colesterol total no plasma. Consideramos desta forma que a utilização de chá dos Açores, chá preto e chá verde, pode consistir numa vantagem para a indústria avícola que poderá assim produzir ovos com um teor reduzido em colesterol.
ABSTRACT: Tea, especially green tea, is well known for anti-cholesterol properties. Recent studies use tea to reduce egg yolk cholesterol content (Azeke & Ekpo, 2009), because eggs have a high cholesterol content, about 200 mg, nearly to recommended maximum daily intake by the American Heart Association (300 mg/day). This study was conducted to determine the effect of inclusion of Azorean tea (black tea and green tea) in the hens diet to decrease the cholesterol content of egg yolk. Twenty ISA Brown hens aged 53 weeks were used, in individual cages, and divided randomly into five groups, which were fed with two types of tea (black and green) as follows: control (only water), 0,5% black tea, 1% black tea, 0,5% green tea and 1% green tea. After thirty days of treatments beginning 0,5% tea concentration (black and green) was increased to 2%. The study lasted 9 weeks. During this period hens weight and eggs production rate were not affected by treatments. The daily intake average of tea was not affected by treatments, with the exception of 0,5% black tea, 0,5% and 1% green tea treatments which shown significant increase (P<0,05) in the daily intake. Non-significant changes were noted in the total eggs weight, although there was a significant reduction in shell weight for 1% black tea, 2% black tea and 1% green tea treatments in 8,1%, 7,8% e 7,3%, respectively. All black tea and green tea treatments in 1% and 2% concentrations resulted in significant reductions (P<0,05) in total egg yolk cholesterol (mg/g), after 6 weeks of treatment. 1% black tea, 2% black tea, 1% green tea and 2% green tea treatments resulted in cholesterol reductions of 6,1%, 10,3%, 7,7% and 11,7%, respectively, comparing with control group. However, because treatments causes an increase in yolk weight (P<0,05) there were no significant changes in egg total cholesterol (mg/egg). Only 2% green tea treatment results in significant reductions (P<0,05) in total cholesterol content in plasma. We regard that Azorean tea (black and green tea) utilization can provide an advantage for poultry industry, to start producing eggs with low cholesterol content.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1323
Aparece nas colecções:DCA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoLilianaMariaFreitasSousa2012.pdf1,9 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.