Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1210
Título: Actividade antioxidante de diferentes hortofrutícolas da ilha Terceira
Autor: Dias, Cátia Alexandra Mendes
Orientador: Silveira, Maria da Graça
Palavras-chave: Antioxidantes
Fitoquímica
Epécies Hortofrutícolas
Stress Oxidativo
Data de Defesa: 23-Mar-2011
Resumo: Os efeitos protectores dos produtos naturais, como frutas e vegetais, na saúde estão na sua maioria relacionados com os compostos fenólicos e antioxidantes (Chun et al., 2005). Neste sentido, foi-se determinar a actividade antioxidante de diferentes variedades de batata-doce, inhame, banana e maçã da ilha Terceira. Uma vez que tanto a batata-doce como o inhame não são consumidos crus, testou-se o efeito que os diferentes tratamentos térmicos tinham na actividade antioxidante avaliada pela regeneração da peroxidase (HPR), expressa em % da sua inibição. Verificou-se que processamento térmico da batata-doce aumentou a sua actividade antioxidante sendo esta tanto maior se a batata fosse cozida com casca. Ao contrário, o tratamento térmico não afectou a actividade antioxidante do inhame, no entanto a sua idade no momento da colheita afectou claramente a actividade antioxidante, tendo-se verificado que quanto mais tempo deixado na terra maior seria esta actividade. A actividade antioxidante exibida tanto pela batata-doce como pelo inhame não se relacionara com a cor da polpa. Na banana testou-se a actividade antioxidantes em três estados de maturação (verde, intermédia e madura), tendo-se observado maior actividade antioxidante no estado verde, seguido surpreendentemente do maduro e só depois pelo intermédio. Foi-se avaliar qual a influência que os polifenóis poderiam ter na actividade antioxidante, tendo-se determinado os polifenóis totais e livres pelo método Folin-Ciocalteau e os flavonóides pelo método DMACA. Verificou-se que as bananas verdes apresentaram as concentrações mais elevadas, as quais diminuíram ao longo do processo de maturação, excepto no caso dos polifenóis livres que praticamente não sofreram alteração. A maçã foi das quatro espécies analisadas a que apresentou maior actividade antioxidante, tendo-se verificado que a casca não afectou esta actividade. No entanto, os polifenóis totais e livres foram significativamente (α=0.05) maiores nas amostras em que a casca foi analisada em conjunto com a polpa, ao contrário os flavonóides não apresentaram diferenças. A partir dos resultados obtidos no presente trabalho podemos concluir que as variedades de produtos hortofrutícolas da ilha Terceira tem a capacidade de prevenir ou minimizar os danos provocados pelas espécies reactivas do oxigénio pelo que são candidatos muito interessantes a nutracêuticos. Além disso, consideramos que os resultados obtidos no presente trabalho poderão ser úteis na definição das estratégias adoptadas para o melhoramento e selecção das culturas açorianas.
ABSTRACT: The health protective effect of natural products such as fruits and vegetables is mostly related to their antioxidants and phenolic compounds (Chun et al., 2005). In this sense, the main purpose of this work was to determine the antioxidant activity of different varieties of sweet potatoes, tarot roots, bananas and apples of Terceira Island. Since both sweet potatoes and tarot roots are not eaten raw, we tested the effect of different heat treatments on the antioxidant activity was evaluated by the scavenging activity against H2O2 assessed by the horseradish peroxidase (HRP) assay. It was found that heat processing of sweet potato increased its antioxidant activity, which is much higher if the potatoes were cooked unpeeled. Instead, the heat treatment did not affect the antioxidant activity of tarot root, but their age at the time of harvest clearly affected the antioxidant activity, i.e. taro roots harvested older showed much higher scavenging activity. The antioxidant activities exhibited by both sweet potato and taro root varieties were not related with flesh colour. The antioxidant properties of banana at different stages of ripening were investigated and it was observed higher antioxidant activity in the green state, followed by the mature and surprisingly only then by the intermediate state. Moreover, in order to evaluate the influence that the polyphenols would have on the antioxidant activity, the total and free polyphenols and flavonoids were assessed by the Folin-Ciocalteau and DMACA methods, respectively. It was found that green bananas had the highest concentrations, which decreased throughout the ripening process, except for free polyphenols which almost didn’t change. From all samples analysed, apples were the ones which displayed the highest antioxidant activity. Moreover we observed that the peel did not affect the scavenging activity. However, total and free polyphenols were significantly (α = 0.05) higher in unpeeled apples, unlike flavonoids showed no differences. Our results strongly support that varieties of fruit and vegetable produce from the island of Terceira have the ability to prevent or minimize damage caused by reactive oxygen species and consequently, making them interesting candidate to nutraceuticals. Moreover, we believe that information obtained in the present work will be helpful for breeding strategies designed for Azorean crops.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Ciências Biomédicas.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1210
Aparece nas colecções:DBIO - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoCatiaAlexandraMendesDias2011.pdf1,92 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.