Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1157
Título: Associativismo, participação e consciência ambiental
Autor: Braga, Teófilo José Soares de
Orientador: Palos, Ana Cristina Pires
Borges, Paulo A. V.
Palavras-chave: Associativismo Ambiental
Comportamento Ambiental
Educação Ambiental
Environmental Associations
Environmental Behavior
Environmental Education
Data de Defesa: 28-Abr-2011
Resumo: Este trabalho tem por objectivo principal tentar compreender melhor a participação social e política, as atitudes e os comportamentos ambientais de dois grupos de açorianos, os que pertencem e os que não são membros de uma OEA Organização Ambiental, Ecologista ou Associação de Protecção de Animais e do Património. Para a sua concretização, foi elaborado um inquérito por questionário constituído por três partes: na primeira, procurou-se conhecer melhor a participação política e social, na segunda, as atitudes e práticas ambientais e, na terceira, as características sócio-demográficas e os posicionamentos sociais. O questionário foi respondido por 113 membros de uma OEA e 117 não membros. Em geral, verificou-se que a pertença ou não a uma OEA é um factor diferenciador da participação cívica, das atitudes e dos comportamentos dos cidadãos, isto é, a pertença a uma OEA está relacionada com uma maior participação e com atitudes e comportamentos pro-ambientais. Para ambos os grupos, membros e não membros de uma OEA, as razões para a não participação política e social dos portugueses foram as mesmas: em primeiro lugar está a “ausência de cultura cívica”, em segundo “debilidades do sistema político”, em terceiro “ausência de formação/informação” e em último lugar a categoria “disponibilidade pessoal”. No que diz respeito ao voluntariado ambiental a principal razão apontada para ser voluntário foi a auto-realização, a segunda, o impacto social, a terceira a solidariedade e em último lugar as experiências grupais. Sempre que há relações estatisticamente significativas entre as atitudes e as práticas ambientais e as variáveis sócio-demográficas, de uma maneira geral, os respondentes que têm idade igual ou superior a 30 anos, os homens, os casados ou que vivem em união de facto, os que têm como grau de escolaridade o ensino superior, os que exercem a profissão a tempo inteiro e os que trabalham 45 e mais horas, os que têm uma profissão ligada ao ensino, os posicionados do centro esquerda à extrema esquerda e os que não seguem nenhuma religião são os que mais participam na vida social e política e os que mais apresentam atitudes e comportamentos pro-ambientais.
ABSTRACT: The main objective of the work presented in this document is to try to understand better the social and political participation, the attitudes and the environmental behaviours of two Azorian groups: those who are and those who are not members of an EEO - Environmental Ecologist Organization, or an Association for the Protection of Animals and Heritage. For its completion, an inquiry was elaborated with a questionnaire consisting of three parts: in the first one the goal was to get to know more about the social and political participation, the second was to inquire on environmental behaviours and the third was to establish social and demographic characteristics as well as social positioning. The questionnaire was answered by 113 members of an EEO and 117 by non members. In general, the results showed that there is a differentiator factor in the civic participation of both groups, e.g., being part of an EEO is related to a bigger participation and to attitudes and behaviours which are more eco-friendly. For both groups, the reasons for the non-social and political participation of the Portuguese were the same ones: the first one was the “absence of civic culture”, the second was the “fragilities of the political system”, the third reason was the “deficiency in eco-awareness/ information” and the last reason was “personal availability”. In what regards environmental voluntary collaboration, the main reason mentioned was “self-fulfillment”, the second reason was “social impact”, the third one was “solidarity” and the last one was “group experiences”. In general, whenever there are statistically significant relations between the environmental attitudes and practices, and the social and demographic variables, the inquired, -who are 30 years of age or older, the men, those who are married or living in a common-law marriage, the ones that have a College degree, those who have educational professions, those who are politically positioned in the center left or far left wing ranks, and those who do not follow any religion, - are the ones that participate more in social and political life and who illustrate attitudes and behaviours which are more environmentally friendly.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Educação Ambiental.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1157
Aparece nas colecções:DCA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DissertMestradoTeofiloJSBraga2011.pdf1,62 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.