Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.3/1058
Título: Sinais de presença britânica na vida açoreana (séculos XVI-XIX).
Autor: Sousa, Nestor de
Palavras-chave: Comércio Internacional
Economia Açoriana
Relações Comerciais
História dos Açores (sécs. XVI-XIX)
Data: 1988
Editora: Universidade dos Açores
Citação: "ARQUIPÉLAGO. História". Número Especial (1988): 25-100.
Relatório da Série N.º: História;Nº. Especial
Resumo: Marco importante de apoio ás viagens quatrocentista, de exploração ultramarina portuguesa, os Açores foram-no igualmente nas subsequentes torna-viagens das armadas do Oriente e das Américas, como o são hoje ainda no jogo de forças dos blocos que comandam a estratégia internacional, Zona periférica do comércio internacional e intercontinental, o arquipélago nele se integrou, todavia, a menos de um século ainda do início sistemático da ocupação dos seus territórios, quer através dos circuitos em que se movia a economia luso-atlântica, quer como origem de negócios que algumas das suas ilhas foram, Nas transacções com o estrangeiro, a Grã-Bretanha foi o parceiro privilegiado no decurso dos séculos XVI a XIX, mesmo quando, por conjuntura nacional, as ilhas sofreram a regular investida de piratas e corsários ingleses, As relações de negócio determinaram a fixação de britânicos, com maior ou menor permanência, nas principais ilhas açorianas, aliando-se alguns por matrimónio com famílias locais, de que são memória viva diversos patronímicos, Estas são situações de natureza diversificada que, articuladas com outras de carácter pontual, escolhemos para neste artigo documentar a presença de britânicos na vida açoriana, em período de longa duração.
ABSTRACT: The Azores served as an important base for the Portuguese nautical expeditions of the fourteenth century, as well as the subsequent return journeys of the Armadas, from the East and the Americas. Even today they are of great strategic importance in the international struggle between the two major power blocks. The archipelago was integrated in the periphery of international and intercontinental trade less than a century before organized settlement in the islands, through the circuits of the Luso-Atlantic economy, and as some of the islands provided a source of trade. Regarding foreign trade, Great Britain was a privileged partner of the Azores from the 16th to the 19th century, even when, during the Spanish occupation of the islands, English corsairs were attacking them regularly. Trade relations brought new British residents to the islands, some temporary and others permanent, most of whom settled on the larger islands. Some married into local families, and the British surnames that have survived to the present are ample proof of this. These are the various general situations which, combined with some specific topics, have been chosen as the subject of this article, which aims to highlight the long-standing British presence in the Azores.
URI: http://hdl.handle.net/10400.3/1058
Aparece nas colecções:ARQ - Hist1s - N Especial (1988)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
NestorSousa_p25-100.pdf714,49 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.